Amor e Arte




O buraco da falta de amor equivale sempre ao abismo excessivo de quem ama demais. Existem maneiras de controlar as emoções que despertamos em nosso coração, o cuidado de não se autodestruir ou destruir os outros.


Podemos ficar abalados com o poder da paixão e adotar uma atitude, mas me pergunto se vale a pena autorregular-se totalmente e praticar a "economia emocional" sem transbordar. Sem essas pessoas "excessivas", como seria a arte e até o amor? O que seria de Pablo Neruda e William Shakespeare?


Me diz você!

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo