• Marisa Melo

Entrevista com a Artista plástica Carol Poci

Atualizado: Fev 28


O trabalho da UP Time Art Gallery é inspirar e fascinar através da Arte. Nossos artistas apresentam trabalhos que retratam nossas emoções, nossas causas, nossas vidas. O público sempre quer conhecer o artista por trás da obra. Quem é, como pensa? Que história de vida levou a esse trabalho?

Hoje conversamos com Carolina Poci.

Carolina é uma artista visual que concilia Fotografia e Pintura com uma carreira na Medicina. Seu trabalho artístico é uma forma de compartilhar memórias, sensações e culturas.

Nesta entrevista, Carolina Poci nos fala sobre viagens, estilo, influências, e como ela relaciona Arte e Medicina em sua vida.



O que a levou à Arte?

Meu pai talvez tenha sido minha primeira influência no mundo das artes... ele, assim como eu, era médico e ocasionalmente se arriscava desenhando ou pintando alguma coisa!! Foi ele inclusive que matriculou minha irmã e eu em um curso de artes quando éramos ainda bem crianças (tinha uns 6 anos na época)!! Lembro que na escola, a aula de artes era sempre a que eu mais aguardava durante a semana, porque eu realmente adorava e ficava muito entretida!! Hoje em dia vejo a arte como uma grande válvula de escape e acaba sendo um processo quase meditativo e terapêutico!! Acho que a necessidade de desviar a mente dos problemas e stress diários tenha sido um grande fator contribuinte para eu seguir por esse caminho...


Como você desenvolveu seu estilo?

Comecei desenhando com lápis de cor e em folha sulfite... e aos poucos fui percebendo que gostava quando os desenhos ficavam com contornos bem marcados. Eu pintava o desenho com lápis de cor e os contornos eram feitos com caneta BIC preta!! Demorava uma eternidade para contornar, porque o traço da caneta BIC era muito fino... então contornava repetidas vezes até ficar na espessura que eu queria!! Foi aí que eu descobri as canetas poscas... justamente nessa busca por uma alternativa para me livrar da BIC!! E quando percebi já estava saindo da sulfite e indo para as telas...


Como é o seu processo criativo?

Em sua maioria, minhas telas retratam lugares em que eu já estive... sempre baseio minhas telas em lembranças de viagem, fotografias (geralmente fotos feitas por mim mesma) e sensações que aquele lugar me provocou... buscando o que mais me marcou ou elementos que são típicos daquele local!!


Você acha que os artistas deveriam participar mais das questões sociais?

Sem dúvida!! Arte é cultura, expressão, manifestação e até mesmo alento!! E esses elementos nunca serão demasiados dentro de uma sociedade como a que vivemos... Sempre haverá algo novo para aprender, algo pelo que lutar e algo para amenizar dor e sofrimento!! A arte indiretamente desempenha esse papel...



Você acha que o fato de você ser médica, acrescenta em sua arte? O que?

Com certeza acrescenta uma sensibilidade muito grande!! Acredito que um dos grandes aprendizados que a medicina me trouxe foi o exercício de humanização em me colocar no lugar do outro e na percepção da fragilidade da vida... Isso sem dúvida reflete na questão da valorização do hoje e também em relação ao conhecimento do sofrimento humano!!


Quais os artistas servem de referência para a sua arte?

Sempre fui apaixonada pelo trabalho de Monet e Van Gogh... mas tenho a tendência a admirar muito artistas hiperrealistas como Evgeny Lushpin, DiegoKoi e Alyssa Monks!! E talvez quem foi uma das minhas principais referências: o artista americano Drew Brophy... um dos pioneiros no uso da caneta posca!!


Você já fez alguma obra com apelo social? Se sim, qual mensagem você quis passar?

Fiz 2 obras com essa característica... Uma retratando duas crianças na favela no morro no Rio de Janeiro, na qual eram retratadas como crianças deveriam ser... Apenas crianças brincando e não envolvidas nesse mundo criminalizado e hostil de hoje em dia!! E a outra obra foi referente ao movimento Black Lives Matter... retratando uma banda de blues em NY, na qual os integrantes são de diferentes etnias e mostrando que somos todos iguais...


Qual mensagem você deixaria para quem está começando?

Insista e persista!! Como em qualquer outra área, nada é alcançado sem esforço, investimento e dedicação!!

Saiba mais sobre Carol Poci:

Instagram: @carolpoci

https://www.uptimegallery.com/carolpoci



UP Time Art Gallery's job is to inspire and fascinate through Art. Our artists create works that portray our emotions, our causes, our lives. The public always wants to know who is behind the work. Who is the artist? What does he think? What life story led to the work?

Today we talk to Carolina Poci.

Carolina is a visual artist who combines Photography and Painting with a career in medicine. Her artistic work is a way of sharing memories, feelings and cultures.

In this interview, Carolina talks about travel, style, influences, and how she relates Art and Medicine in her life.



How did you get into the art world?

My father may have been my first influence in the art world... He, like me, was a doctor and occasionally took a risk drawing or painting something!! He even enrolled my sister and me in an art course when we were still children (I was about 6 at the time)!! I remember that at school, the art class was always the one I most looked forward to during the week, because I really loved it and was very entertained!! Nowadays I see art as a great escape valve and it ends up being an almost meditative and therapeutic process!! I think the need to divert my mind from daily problems and stress was a major contributing factor for me to follow this path.


How did you develop your style?

I started drawing with colored pencils and sulfite foil ... and little by little I realized that I liked it when the drawings were well-outlined. I painted the drawing with colored pencils and the outlines were done with a black BIC pen!! It took forever to get around, because the stroke of the BIC pen was very thin... So it went around repeatedly until it was the thickness I wanted!! That's when I discovered the posca pens... precisely in this search for an alternative to get rid of BIC!! And when I realized I was already leaving the sulfite and going to canvas...


How is your creative process?

Most of my paintings depict places I have been to... I always base my paintings on travel memories, photographs (usually photos made by myself) and sensations that that place provoked me... Searching for what most marked me or elements that are typical of that place!!



Do you think artists should engage themselves in social issues?

No doubt!! Art is culture, expression, manifestation and even encouragement!! And these elements will never be enough within a society like the one we live in ... There will always be something new to learn, something to fight for and something to ease pain and suffering !! Art indirectly plays this role...


Do you think the fact that you are a doctor adds to your art? What?

It certainly adds a great sensitivity!! I believe one of the great learnings that medicine brought me was the exercise of humanization in putting myself in the place of the other and in the perception of the fragility of life...This undoubtedly reflects on the issue of valuing today and also in relation to the knowledge of the human suffering!!


Which artists serve as a reference for your art?

I have always been passionate about the work of Monet and Van Gogh... But I tend to admire a lot of hyperrealistic artists like Evgeny Lushpin, DiegoKoi and Alyssa Monks!! And one who may be one of my main references: the American artist Drew Brophy, one of the pioneers in the use of the posca pen!!


Have you done any work with social appeal? If so, what message did you want to send?

I did 2 works with this characteristic. One depicting two children in the favela on the hill in Rio de Janeiro, in which they were portrayed as children should be: just children playing and not involved in this criminalized and hostile world today!!

And the other work was related to the Black Lives Matter movement... Portraying a blues band in NY, in which the members are from different ethnicities and showing that we are all the same...


What message would you leave for an aspirant?

Insist and persist!! As in any other area, nothing is achieved without effort, investment and dedication!!


UP TIME ART GALLERY, DEMOCRATIZANDO O MUNDO DA ARTE!


Sobre a UP Time Art Gallery:

Galeria de arte itinerante que reúne artistas do Brasil e de países da Europa para disseminar o que há de melhor no cenário da arte contemporânea. Fundada por Marisa Melo, a galeria de arte alcança mais de 30 países ao redor do mundo, isso porque ela funciona em formato digital desde o seu nascimento, apresentando mundialmente exposições 3D e exposições regionais presenciais com um time de artistas distintos.


Sobre Marisa Melo:

Formada em Propaganda e Marketing, Moda e Fotografia. Especialista também em crítica de arte, Gestão de Negócios, Arte e Estética e Design Gráfico. Artista Visual, consultora de projetos Artísticos, produtora de mostras, curadora e redatora de textos curatoriais.


Nossos serviços:

Exposições virtuais, físicas nacionais e Internacionais, Feiras de Arte, Projetos Sociais, Catálogo do Artista, Consultoria para Artistas, Coaching, Construção de Portfólio, Posicionamento Digital, Branding, Marketing Digital, Criação de Conteúdo, Identidade Visual, Biografia, Textos Crítico , Assessoria de Imprensa, Entrevistas e Provocações.







29 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo