Entrevista com a artista visual Alcina Morais




O trabalho da UP Time Art Gallery é inspirar e fascinar através da Arte. Nossos artistas apresentam trabalhos que retratam nossas emoções, nossas causas, nossas vidas. O público sempre quer conhecer o artista por trás da obra. Quem é, como pensa? Que história de vida levou a esse trabalho?

Hoje conosco, Alcina Morais!





Alcina Morais, natural de Minas Gerais. Vive no Rio de Janeiro há mais de 40 anos. É artista visual multimédia, tem sua longa trajetória na fotografia abstrata.


Ao mergulhar no universo da fotografia, Alcina, cria obras que possuem uma identidade artística singular. Incorpora em seu processo criativo edição gráfica para chegar na abstração lírica, anunciando a necessidade de uma reprodução do que não seja real, para além do palpável e tangível.



1. Como surgiu o seu desejo pela fotografia e como tem construído a sua trajetória?


Desde jovem percebi que gostava de olhar de modo e atenção diferenciados o que me tocava. Pois, esse olhar segue comigo.

Antes de começar a fotografar, me dedicava a poesia. Cada poema escrito, o fiz com o olhar em algum objeto.

A fotografia é o prolongamento, a extensão vívida desse olhar.

Tenho lido bons e consistentes livros, mas, continuo orientada pela minha sensibilidade. É o que me leva a olhar, me move em direção ao que vou fotografar .



Composição - Fotografia com intervenção digital



2. Quais são as referências e influências que permeiam o seu trabalho?


Nas saídas fotográficas percebi que vislumbrava algo diferente para registrar. Atraída pelas cores primárias e formas geométricas sutis, vi... esse é o caminho a seguir – fotografá-las.

Com o olhar vigilante fui adentrando para o não-figurativo, o não-visível das “coisas” sem a necessária representação da realidade.

Já admirando Kandinski, creio, não foi uma influencia explicita.



Por um Sopro - Fotografia com Intervenção Digital


3. Quais são as principais transformações que você observa na fotografia nos últimos anos?


A fotografia se expandiu com o avanço impressionante da tecnologia.

Todo tipo de câmeras, celulares, ferramentas de uso fácil tornaram a fotografia potente.

Pessoas no mundo inteiro estão fotografando. É instantâneo, imediato.

Basta apertar o botão e capturar a imagem.

Novos softwares com infinidade de ferramentas, para tratamento da imagem, facilitou a todos.


Devido a esse avanço, a expansão e crescimento, a fotografia se tornou meio de comunicação e expressão muito ativos, mudando completamente a forma de ver o mundo. Na Arte, ela também, se afirmou como tal.



O Paraíso é aqui - Fotografia com intervenção digital


4. Você tem um olhar muito atento a detalhes, como você define o que vai fotografar?


Meu olhar é orientado pela minha sensibilidade, percepção de algo que sinto e me leva a fotografar. Formas pequenas, detalhes, me chamam a atenção, visto em aparência, não ter a ver com o mundo visível. Com eles, me identifico, vou criando uma nova estética, que não seja a reprodução do real.

Assim vou descobrindo e registrando as imagens.


5. Em sua fotografia também está presente edição digital, você utiliza em todas as etapas da criação ? Fale do processo.


Todo meu registro fotográfico é trabalhado digitalmente. Faço-o para desenvolver outra estética com mais cores, texturas, recortes, antes inexistentes. Estou criando nova imagem, com novo significado para além do que é, do que se apresentou para mim, expressando, com isso, minhas emoções e ideias, não a realidade visível.

E vou construindo meu trabalho fotográfico, de forma mais livre e solta.



Em Perspectiva - Fotografia com intervenção digital


6. Fale das exposições internacionais que tem feito e de futuro projeto.


O artista quer ser visto. Exposição internacional, oferece visibilidade, abre portas. Amplia o universo do artista. É a arte circulando...

O olhar do outro que realiza o artista. É trabalhosa e de custo alto, mas gratificante.

Participei de algumas exposições em Portugal e Barcelona. Tenho interesse em continuar participando.




7. Na sua opinião, quais são os maiores desafios para um artista neste mercado tão polarizado ?


Mídias informam do interesse por obras de arte crescendo a cada dia. Galerias, feiras, bienais, leilões, colecionadores de arte, e, agora, o formato on-line, canais digitais, trabalhos artísticos dos mais diversificados, logo, não caberia um mercado tão polarizado.

A despeito de galerias e seus grupos fechados dificultarem aproximação de novos artistas, tal polarização não deveria ser tão expressiva.



Espaço Dividido - Fotografia com Intervenção Digital


Saiba mais:

Instagram: @alcinamoraaaiis





Sobre a UP Time Art Gallery:

Galeria de arte itinerante que reúne artistas do Brasil e de países da Europa para disseminar o que há de melhor no cenário da arte contemporânea. Fundada por Marisa Melo, a galeria de arte alcança mais de 30 países ao redor do mundo, isso porque ela funciona em formato digital desde o seu nascimento, apresentando mundialmente exposições 3D e exposições regionais presenciais com um time de artistas distintos.

Sobre Marisa Melo:


Formada em Propaganda e Marketing, Moda e Fotografia. Empresária no Mercado de Arte, especialista em crítica de arte, Gestão de Negócios, Arte e Estética e Design Gráfico. Artista Visual, certificação em Liderança pela PUC, consultora de projetos Artísticos, produtora de mostras, curadora e redatora de textos curatoriais.

Nossos serviços:


Exposições virtuais, físicas nacionais e Internacionais, Feiras de Arte, Projetos, Catálogo do Artista, Consultoria para Artistas, Coaching, Construção de Portfólio, Posicionamento Digital, Branding, Marketing Digital, Podcast, Criação de Conteúdo, Identidade Visual, Biografia, Textos Crítico, Assessoria de Imprensa, Entrevistas e Provocações.


10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo