• Marisa Melo

Entrevista com o artista Lincoln Lima

Atualizado: Out 22

A Arte Psicológica de Lincoln Lima

O trabalho da UP Time Art Gallery é inspirar e fascinar através da Arte. Nossos artistas apresentam trabalhos que retratam nossas emoções, nossas causas, nossas vidas. O público sempre quer conhecer o artista por trás da obra. Quem é, como pensa? Que história de vida levou a esse trabalho?

Hoje conversamos com Lincoln Lima.

Lincoln Lima é um artista visual, que trafega pelos universos da Tatuagem e da Pintura. Em ambos, ele procura captar emoções e sentimentos, que dão uma conotação psicológica a seus trabalhos. Sua Arte é profunda e diferenciada .

Nesta entrevista, Lincoln Lima nos conta sobre seu processo criativo, sobre inspiração e sua visão do papel da Arte.


Lincoln Lima

Como nasceu seu gosto pelas Artes Plásticas?

O gosto pelas Artes chegou para mim de uma forma intuitiva. Ainda criança, eu desenhava para aliviar tensões e emoções, refletir sobre as coisas que eu sentia, via, percebia. Mais que um gosto, era uma necessidade.

Como você desenvolveu seu estilo?

Desenvolvi meu estilo experimentando, estudando, observando os artistas que eu admirava, ao longo da carreira. Mas eu ainda me considero em construção, ainda não desenvolvi um estilo definitivo.

Fale sobre o seu processo criativo. Como chega a inspiração para você?

Meu processo criativo é diferente, se consideramos a tatuagem e a pintura. Na tatuagem, eu converso com o cliente, ele me passa a ideia e eu desenho. Na pintura é mais livre. Normalmente eu me comunico mais com o feminino. Vou refletindo sobre o que eu quero passar, mas a informação costuma ser mais intuitiva do que reflexiva.

Você acha que dá para viver de Arte no Brasil? Como você avalia o Mercado?

Meu ramo envolve 2 atividades, a tatuagem, mais cultural, mais acesso ao povo, ao público. A área das Artes Plásticas envolve outro tipo de engajamento, de reflexão e de público. Dá para viver. Não é simples, é uma construção. Minha intenção é realmente viver só da Arte. Hoje eu já vivo de Arte e sou muito grato pela vida que levo.

Como você vê o momento cultural nos dias de hoje? A Arte desempenha o papel de refletir a sociedade?

Em relação à Pintura, eu fico muito envolvido no meu Universo, mas na web, nas redes sociais, acompanho o surgimento de novas referências e novas interpretações. Sobre o papel da Arte nos dias de hoje, eu vejo que ela não está voltada a uma reflexão. Ela é mais voltada ao indivíduo, ao artista. A arte antigamente trazia uma reflexão social filosófica. Hoje ela reflete o que o artista está pensando, o que ele aprendeu, o que ele quer fazer. Acho que precisamos voltar, aprender muita coisa, principalmente com os que vieram antes. Para podermos, com propriedade, construir a evolução da própria Arte.

Quais artistas servem de referência para o seu trabalho?

Eu me identifico com a época moderna. Matisse e Modigliani me inspiram. Gosto muito de Gustav Klimt, Egon Schielle e do pai de todos, Vincent van Gogh, uma inspiração imensa! São tantos! Mas esses são os mais próximos.

Qual sua mensagem para um artista que está começando?

O artista deve fazer as coisas com amor, com paixão e trabalhar, trabalhar muito.

Não esperar por resultados imediatos.

E aproveitar o percurso. A jornada é mais importante que a chegada!


Saiba mais sobre Lincoln Lima:

Instagram: @atelierlincolnlima

Instagram: @lincolnlimartist

https://www.facebook.com/lincolnlimaartist




The Psychological Art of Lincoln Lima

UP Time Art Gallery's job is to inspire and fascinate through Art. Our artists create works that portray our emotions, our causes, our lives. The public always wants to know who is behind the work. Who is the artist? What does he think? What life story led to the work?

Today we talk to Lincoln Lima.

Lincoln Lima is a visual artist who travels through the worlds of Tattoo and Painting. In both, he seeks to capture emotions and feelings, which give a psychological connotation to his work. His Art is deep and differentiated.

In this interview, Lincoln Lima tells us about his creative process, his inspiration and vision of the role of Art.

How did your taste for Visual Arts come out?

The taste for Arts came to me in an intuitive way. As a child, I drew to relieve tension and emotions, to reflect about the things I felt, saw, perceived. More than a taste, it was a necessity.

How did you develop your style?

I developed my style by experimenting, studying and observing the artists I admired throughout my career. However, I still consider myself under construction once I have not developed a definitive style yet.

Talk about your creative process. How does inspiration come to you?

My creative process is different, considering the tattoo and the painting. In the tattoo, I talk to the client, he gives me the idea and I draw. In painting it is more free. I usually communicate more with the female. I reflect on what I want to communicate, but the information is usually more intuitive than reflective.

Do you think you can live of art in Brazil? How do you evaluate the market?

My business involves 2 activities, tattooing, more cultural, more accessible to the public. The painting involves another type of engagement, reflection and audience. You can live. It is not simple, it is a construction. My intention is really to live only on Art. Today I already live on Art and I am very grateful for the life I have.


How do you see the cultural moment these days? Does art play a role in reflecting society?

Regarding Painting, I am very involved in my Universe, but on the web, on social networks, I follow the emergence of new references and new interpretations. Regarding the role of Art today, I see that it is not focused on reflection. It is more focused on the individual, the artist. Art used to bring a philosophical social reflection. Today it reflects what the artist is thinking, what he has learned, what he wants to do. I think we need to go back, learn a lot, especially with those who came before. In order to properly build the evolution of Art itself.

Which artists are a reference for your work?

I identify with the modern age. Matisse and Modigliani inspire me. I really like Gustav Klimt, Egon Schielle and everyone's father, Vincent van Gogh, an immense inspiration! There are so many, but those are the closest.

What is your message for an artist who is just starting out?

The artist must do things with love, with passion and work, work hard.

Do not wait for immediate results and enjoy the ride. The journey is more important than the arrival!


91 visualizações

Subscribe to our Newsletter

São Paulo - Brasil

Contato: 55 (11) 99724 0909

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon
  • Cinza ícone do YouTube

UP Time

UP Time Art Gallery@ 2019